sábado, 15 de abril de 2017

|Viagens| Partir e Voltar

Foto: Ana Filipa Oliveira
Alhanda / Portugal
É maravilhoso podermos desvendar novos mundos. E é fantástico podermos regressar aos velhos. Partir e regressar aparentemente são movimentos contrários, mas cada vez mais acho que são movimentos complementares.

Sabe tão bem a pré-viagem... escolher o destino, planear os dias, fazer as malas, fechar a porta, entrar no carro, viajar até ao aeroporto, ou até ao destino, chegar lá e desfrutar do que é para nós novo, mesmo que já visitemos Paris, Barcelona ou outro local pela vigésima vez.

Na hora da despedida provavelmente ficaríamos por mais tempo... Ainda tínhamos tanto para descobrir e estávamos a desfrutar lindamente dos dias nesse sítio novo, mesmo que repetido... mas ao chegar a casa, que sentimento!!!! A sensação que saltámos de novo para o colo da mãe, para aquilo que nos é conhecido, dá segurança, conforto, que nos acolhe com as características específicas e individuais que nos identificam... e com as quais nos identificamos.

Com esta vida de emigrante, com o privilégio de vir várias vezes por ano a Portugal, vivo e revivo este sentimento. E o novo agora é o que era velho... o meu país de origem passou a ser o meu destino de aventuras, descobertas e redescobertas... parto com o sentimento que ficaria por muito mais tempo, e que até gostaria de voltar a viver aqui... e entro em casa, na Alemanha, respirando fundo e sorrindo, por estar de novo no nosso ninho.


Segue A Mulher do 31 (@amulherdo31) também no Instagram e no Facebook.

2 comentários:

  1. A hora da despedida é sempre mais dolorosa!

    http://quase-italiana.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joana, também conheces bem estes sentimentos, não é verdade?
      Mas o que nos permite partir, ficar ausentes e regressar - sem amargura - são os braços abertos daqueles que ficam. Concordas?

      Eliminar

© A Mulher do 31 - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Ana Oliveira.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo