quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Cozinha 2# Espetadas de Mozzarella, Tomate e Pão

Para saídas... ora para um picknick, uma festa, uma ida à praia... é uma óptima ideia, pois não requer muitos custos, nem financeiros, nem de tempo.



Mais uma vez, não consigo dar-vos as quantidades certas, mas desta vez vou-vos dar aproximadamente.

INGREDIENTES
1 pão de forma
500 g de tomates cereja
3 pacotes de 125 g de mozzarella
paus para espetadas 
sal
azeite
balsâmico

CONFECÇÃO:
1. cortar o pão aos quadrados
2. cortar a mozzarella também em quadrados
3. cortar os tomates ao meio
4. colocar em cada espeto um quadrado de pão, um quadrado de mozzarella e uma metade de tomate
5. temperá-los com sal, azeite e balsâmico
Nota: se colocar um triângulo de pepino na sequência, fica mais colorido, não tão monótono esteticamente, e ganha também em sabor.

domingo, 27 de setembro de 2015

Cozinha 1# Duas Receitas para Pão de Pita

A Mulher do 31 tem procurado encontrar o equilíbrio na vida. Há cerca de 150 dias que estou decidida a ter uma vida mais saudável, pelo menos mais consciente do que faço, e não faço, para ela ser saudável.



Sou uma pessoa prática. Na cozinha não sou diferente. Não gosto de muitos rococós e perdas de tempo. Aproveito alguns restos. Nesta onda, fiz uma receita com sobras de carne à bolonhesa e outra com peito de frango. Não posso dizer as quantidades, pois foi a olho. Deixo-vos aqui as dicas, experimentem e comentem:

RECEITA - com Carne à Bolonhesa
sobras de carne à bolonhesa aquecidas
folhas de alface lavadas
queijo ralado
pão de pita

Depois de aquecer o pão, como diz na embalagem, e deste estar a uma temperatura que permita pegá-lo com as mãos, colocamos as folhas de alface, a carne e depois queijo por cima. Agora, é só dar a primeira dentada... as outras vão vir a seguir, de certeza.

RECEITA - com Peito de Frango e Molho Shoama
(receita do molho retirada do blog Nárwen´s Cuisine)

peito de frango grelhado, frito ou cozido, desfiado
folhas de alface lavadas
tomate às fatias finas

Preparar o pão de pita; assim que esteja pronto a rechear, colocamos o tomate e a alface, cobrindo com o frango desfiado e, por fim, o molho, cuja receita passo a dar.

6 colheres de maionese
8 colheres de sopa de natas
1/2 colher de sopa de cebolinho seco
1/2 colher de sopa de salsa em pó
4 colheres de chá de sumo de limão
2/3 colheres de chá de alho em pó
água (conforme a consistência desejada)

Com as natas e o sumo de limão fará o sour cream (natas azedas). Ora, misture as natas e o limão num recipiente, deixando-os por 15 minutos, ou até talharem.
Noutro recipiente coloque os restantes ingredientes, aos quais vai adicionar as natas, assim que estejam no ponto.
Nesta fase, misture os ingredientes com uma vara de arames e prove de modo a saber se o gosto está de acordo com o que pretende. Caso contrário, adicione um pouco mais daquilo que quer ver sobressaído, por exemplo alho ou limão, caso queira um sabor mais intenso a esse ingrediente.
Segundo li, o molho shoama torna-se mais saboroso no dia seguinte, por isso sugiro que o deixe repousar no frigorífico 24 horas. Isso pode fazer com que ele se torne mais espesso. Aí a solução será colocar um pouco mais de água. Se o caso for de ter ficado muito líquido, há que por um pouco mais de maionese.   

Bom apetite!

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Solidariedade 1# Formiguinha Taíssa

Com um filho que nasce sem limitações já temos tantas preocupações, imagine-se com uma menina que nasceu com Trissomia 18. Bem, não sei exactamente o que é, mas mesmo que não compreenda cientificamente, sei que é uma doença, e uma vez um filho doente, é impossível que os pais e a restante família não passem por dificuldades. Não falo especificamente financeiras, mas também.
<A Mulher do 31> é uma mulher que olha pelos outros, que está atenta às necessidades dos outros. Por isso, hoje iniciamos um espaço neste blog intitulado "Solidariedade". O projecto que abre esta série é o Formiguinha, pelo qual me apaixonei e me tornei defensora.


Fonte: http://adotaramarviver.blogs.sapo.pt/formiguinha-87256

Porquê Formiguinha? É o nome carinhoso que os pais dão ao seu rebento de olhos claros, cor de céu. Esta linda menina a caminhar para os 2 anos tem uma irma mais velha chamada Tamara. As Formiguinhas Nunes.
Como começou? A Taíssa recebeu uma bonequinha de pano feita por Sara Luzia Falcoeiras, para que ela tivesse sempre companhia e não se sentisse sozinha, mas de repente nasceu a ideia de vender as lindas bonecas de pano para angariar fundos para os tratamentos necessários para a Taíssa. [Ver mais em CaridadX abaixo]
Como posso ajudar? Uma possibilidade é adquirir uma para si, outra para a amiga, outra para a prima... ou simplesmente contactar os pais - Ema e Paulo - e disponibilizar-se para ajudar.
Como adquirir? Mandar um email com a quantidade, a morada e pedir que indiquem o valor total com os portes de envio, bem como o IBAN para fazer a transferência. E depois do valor depositado... é esperar que a Formiguinha chegue até si, para que possa relembrá-la de que há uma menina, uma família que conta com a sua oração.

Foto: Grupo Oracao pela Cura da Taíssa


CONTACTOS:
Email: palopimentanunes@gmail.com ou formiguinha.taissa@hotmail.com
Telemóvel: 00351915915913
FacebookFamília Nunes de Portugal ou Oracao pela vida e saúde da menina Taíssa em Portugal
CaridadX: A Taíssa nasceu com Trissomia 18 total. Ajude a Taíssa a viver.

terça-feira, 2 de junho de 2015

Costura 11# Lenço em triângulo

Este lenço foi feito para usar mais no verão.  Mas também podemos usar este modelo para o inverno. A diferença é o uso de materiais. Por exemplo para o verão basta usarmos um tecido mais leve como batista, malha de jersey, viscose... Já para o inverno podemos usar dois tecidos, para dar volume e aquecer-nos. Por exemplo, à frente aconselha-se viscose e atrás algodão.


O que precisamos?

  • tecido escolhido1,40 m x 1 m
  • franja na largura de 1 cm (2,50 m)
  • linha na cor adequada

 Passo a Passo:

  1. Cortar o tecido com um centímetro de bainha.
  2. Voltar o tecido, direito com direito, em forma de um triângulo e costurar em ponto direito deixando uma abertura de cerca de 10 cm para poder voltar ao contrário. Não deve deixar esta abertura numa das pontas, pois aí é muito difícil de voltar e costurar em condições.
  3. Alinhavar a franja ao redor do lenço, excepto no lado maior, ou seja, o lado contrário ao do vértice. Atenção, os cantos da franja devem ficar para dentro, de modo a não ficar a parte feia visível, mas escondida.
  4. Costurar a franja com ponto direito. Este é um trabalho que convém ser bem feito, o mais direito possível.
Este já tem dona. Foi uma prenda de aniversário que fiz. Mãos à obra!

domingo, 3 de maio de 2015

Costura 10# Reduzir fronha de almofada

Cá em casa optámos por comprar a capa do édredon no IKEA e com ela vem duas fronhas, mas de um tamanho enorme, onde quase cabiam duas almofadas das nossas. Por isso sentimos a necessidade de reduzir o tamanho das fronhas. Aqui vos deixo passo a passo como fazê-lo.

Passo 1

Desmanchamos a bainha das fronhas ao longo das suas laterais. Para tal é útil este pequeno instrumento de trabalho que serve para também cortar a linha da máquina de costura, quando acabamos o trabalho, bem como para abrir a casa dos botões, talvez por isso há quem lhe chame "Abridor de casa".


Passo 2

A seguir, e após termos medido a almofada, vamos cortar o tecido. No meu caso tinha uma almofada de 60 cm x 40 cm, medi duas vezes 60 cm, portanto 120 cm que corresponde à parte da frente e de trás da almofada e acrescentei mais 30 cm para fazer a aba que prende a almofada no interior da fronha. Para além disso, coloquei dois centímetros extra na largura, ou seja fiquei com 42 cm de largura de tecido.


Passo 3

Este é um passo menosprezado por muitas de nós, mas muitíssimo importante: alisar o tecido. Para tal passar a ferro é fundamental.


Passo 4

Numa das pontas - no sentido da largura - já existe uma bainha, aproveitada do que já estava, mas precisamos fazer a do lado que foi cortado. Ora para tal medimos cerca de 1 cm e dobramos do lado direito para o avesso. Para fixar usamos alfinetes, pregando-os também do lado direito para o avesso, de modo a que quando virarmos, seja muito mais fácil de os voltar a pregar no mesmo lugar.


Passo 5

Voltamos a fazer o mesmo processo, ou seja, medimos cerca de um centímetro e voltamo-lo para o interior do tecido, só que agora basta retirar o alfinete e voltar a pregar no mesmo sítio. Convém que seja deixada uma margem suficiente para depois cosermos com a máquina toda a largura do tecido, como se verá na imagem seguinte.


Passo 6

Agora é chegada a hora de ir para a máquina. Com a máquina já preparada - com a cor que desejamos usar para a bainha e o ponto direito, então finalizamos a bainha.


Passo 7

De uma das pontas do tecido voltado do avesso mede-se 40 cm e dobra-se alinhado, já pronto para alfinetar. Os alfinetes colocam-se com a cabeça para fora, de modo que, no momento em que se está a costurar, se possa ir tirando-os, sem que o tecido se desalinhe.


Passo 8

Depois mede-se 60 cm da ponta já dobrada e o tecido que sobra dobra-se por cima do que já estava dobrado.


Passo 9

Depois do tudo bem alinhado colocam-se os alfinetes a todo o comprimento, tendo em atenção para na ponta das abas (na área da bainha) ter um alfinete, de modo a que fique bem fixa e não se enrole ao coser.


Passo 10

Chegou a vez de coser a todo o comprimento. Aproveitando as marcas da bainha original, cosemos ligeiramente a baixo dessa, para não se ficar a ver o local dos pontos anteriores. Usa-se o ponto direito para este fim. 

Passo 11

É bom que se corte todos os fios que ficam soltos e que a seguir se passe para o ponto ziguezague de modo a cerzir o tecido da bainha.

Passo 12

Com um ziguezague largo cose-se ao longo do comprimento da fronha e perto do final do tecido, de modo a que se previna um possível desfiar do mesmo. 

Passo 13

Para acabar é só voltar o tecido e inserir a almofada. Eu fiquei muito feliz com o trabalho.


Qualquer dúvida, estou disponível para ajudar a encontrar a resposta. Escrevam nos comentários ou enviem um email para anafms.oliveira@gmail.com.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Costura 9# Outras Versões de Capas para Livros e Afins



Este projecto teve direito a duas tentativas. Porquê? A primeira experiência, no final, não estava de acordo com as dimensões da Bíblia... ficou mais pequena. Por isso é que é importante, medir, voltar a medir... Assim vou apresentar várias fotos, umas da primeira versão e outras da segunda.

1. Criei um padrão, usando um papel velho de embrulho. A partir dele cortei as medidas que necessitava de ganga. É apenas para a parte de fora da capa.
2. Abri a costura, com a ajuda deste pequeno instrumento que desconheço o nome.
Este pedaço branco triangular que vêem na foto é
o giz marcador. Numa versão usei-o, noutra usei o
lápis de carvão.
3. Peguei num pedaço de cartão de uma caixa de encomendas e cortei um rectângulo do tamanho da capa e no centro desenhei uma cruz.
4. Verifiquei, mais ou menos (por isso é que falha! Tenho que começar a ser mais precisa!), onde ficava a Bíblia na ganga que havia aberto e desenhei com um lápis de carvão à volta do livro.
 5. No lado da capa frontal desenhei a cruz com a ajuda do nosso cartão já recortado.
6. Com a tesoura cortei a forma da cruz na ganga.
 7. Deixando uma margem, recortei a ganga necessária para o trabalho.
 8. Depois foi a vez de recortar um pedaço de tecido que desse para cobrir a área cortada na ganga na forma de cruz.
9. Coloquei o tecido sobre a ganga de modo a que a cruz fique centrada.

 10. Aqui pode-se ver que coloquei alfinetes para fixar o tecido. Também nesta fase marquei o tecido que seria o interior, o forro da capa. E usei numa das vezes aquele utensílio, que vêem na foto, para marcar. Vêem os pontinhos? É assim que ele marca.

11. Chegou a vez das nossas abas para segurar a capa ao livro ao próprio livro, essas também são úteis para guardar papéis e afins. Teremos duas. As dimensões, têm de ver se querem mais estreitas ou mais largas, eu aconselho a ser um pouco menos de metade das dimensões da capa. Eu cortei primeiramente um tecido por completo e depois cortei-o, separando as duas abas, e por fim dobrei-as.



12. Agora vamos cortar um pouco de fita para ser o nosso marcador. Há que contar com um pouco mais para costurar e para ficar que chegue para marcar e ficar uma ponta boa de fora.
13. Numa última versão, decidi cozer à volta da ganga para esta não desfiar.
14. Altura para coser a cruz. Eu decidi fazer com duas linhas de cores diferentes e com um zigzag desordenado :-) Isto é costurei uma primeira vez com uma cor, depois voltei a coser com outra.
15. Numa das versões recortei o tecido que sobrou, mas são apenas pormenores.
16. Estamos na fase de montar as várias camadas para coser e finalmente termos a nossa capa. Colocamos o tecido que será o forro. A seguir, colocamos as abas, sendo que a dobra fica para dentro. A parte que está aberta, fica para os lados que serão costurados. A fita coloca-se fixa por alfinete no meio, na parte inferior do tecido do forro. Atenção para esconder a outra ponta, de modo a não ser, por distracção, cosida. E finalmente coloca-se o tecido da capa, ou seja, a nossa ganga. Como vêem, coloca-se ao contrário, de cabeça para baixo. Na área oposta a onde a nossa fita está pregada com o alfinete, devemos deixar um espaço sem ser cosido, para que se possa virar os tecidos. Prende-se tudo com alfinetes.
17. Na última versão, cortei as pontas, para que ao voltar não fique muito volume. Trata-se de excesso de tecido que é inútil. Mas o ideal era ter feito isso antes de ter passado o zigzag todo à volta da ganga, pois agora, deste modo que fiz, o objectivo de evitar que desfie, fica sem efeito no tecido que cortei.
18. Depois de virado os tecidos, com um ponto praticamente invisível, fechamos o buraco por onde os virámos.Atenção! Neste modelo de capa não coloquei a intratela, pois a ganga já é grossa o suficiente para dar robustez à capa.
© A Mulher do 31 - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Ana Oliveira.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo