Avançar para o conteúdo principal

Costura 9# Outras Versões de Capas para Livros e Afins



Este projecto teve direito a duas tentativas. Porquê? A primeira experiência, no final, não estava de acordo com as dimensões da Bíblia... ficou mais pequena. Por isso é que é importante, medir, voltar a medir... Assim vou apresentar várias fotos, umas da primeira versão e outras da segunda.

1. Criei um padrão, usando um papel velho de embrulho. A partir dele cortei as medidas que necessitava de ganga. É apenas para a parte de fora da capa.
2. Abri a costura, com a ajuda deste pequeno instrumento que desconheço o nome.
Este pedaço branco triangular que vêem na foto é
o giz marcador. Numa versão usei-o, noutra usei o
lápis de carvão.
3. Peguei num pedaço de cartão de uma caixa de encomendas e cortei um rectângulo do tamanho da capa e no centro desenhei uma cruz.
4. Verifiquei, mais ou menos (por isso é que falha! Tenho que começar a ser mais precisa!), onde ficava a Bíblia na ganga que havia aberto e desenhei com um lápis de carvão à volta do livro.
 5. No lado da capa frontal desenhei a cruz com a ajuda do nosso cartão já recortado.
6. Com a tesoura cortei a forma da cruz na ganga.
 7. Deixando uma margem, recortei a ganga necessária para o trabalho.
 8. Depois foi a vez de recortar um pedaço de tecido que desse para cobrir a área cortada na ganga na forma de cruz.
9. Coloquei o tecido sobre a ganga de modo a que a cruz fique centrada.

 10. Aqui pode-se ver que coloquei alfinetes para fixar o tecido. Também nesta fase marquei o tecido que seria o interior, o forro da capa. E usei numa das vezes aquele utensílio, que vêem na foto, para marcar. Vêem os pontinhos? É assim que ele marca.

11. Chegou a vez das nossas abas para segurar a capa ao livro ao próprio livro, essas também são úteis para guardar papéis e afins. Teremos duas. As dimensões, têm de ver se querem mais estreitas ou mais largas, eu aconselho a ser um pouco menos de metade das dimensões da capa. Eu cortei primeiramente um tecido por completo e depois cortei-o, separando as duas abas, e por fim dobrei-as.



12. Agora vamos cortar um pouco de fita para ser o nosso marcador. Há que contar com um pouco mais para costurar e para ficar que chegue para marcar e ficar uma ponta boa de fora.
13. Numa última versão, decidi cozer à volta da ganga para esta não desfiar.
14. Altura para coser a cruz. Eu decidi fazer com duas linhas de cores diferentes e com um zigzag desordenado :-) Isto é costurei uma primeira vez com uma cor, depois voltei a coser com outra.
15. Numa das versões recortei o tecido que sobrou, mas são apenas pormenores.
16. Estamos na fase de montar as várias camadas para coser e finalmente termos a nossa capa. Colocamos o tecido que será o forro. A seguir, colocamos as abas, sendo que a dobra fica para dentro. A parte que está aberta, fica para os lados que serão costurados. A fita coloca-se fixa por alfinete no meio, na parte inferior do tecido do forro. Atenção para esconder a outra ponta, de modo a não ser, por distracção, cosida. E finalmente coloca-se o tecido da capa, ou seja, a nossa ganga. Como vêem, coloca-se ao contrário, de cabeça para baixo. Na área oposta a onde a nossa fita está pregada com o alfinete, devemos deixar um espaço sem ser cosido, para que se possa virar os tecidos. Prende-se tudo com alfinetes.
17. Na última versão, cortei as pontas, para que ao voltar não fique muito volume. Trata-se de excesso de tecido que é inútil. Mas o ideal era ter feito isso antes de ter passado o zigzag todo à volta da ganga, pois agora, deste modo que fiz, o objectivo de evitar que desfie, fica sem efeito no tecido que cortei.
18. Depois de virado os tecidos, com um ponto praticamente invisível, fechamos o buraco por onde os virámos.Atenção! Neste modelo de capa não coloquei a intratela, pois a ganga já é grossa o suficiente para dar robustez à capa.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Tua Rotina Dita O Teu Sucesso

"O ser humano é um animal de hábitos.", provavelmente já ouviste esta expressão. Se não a ouviste, sendo tu humano, de certo que já sentiste a dificuldade de deixar um hábito ou instalar um novo. Isso deve-se a que estamos acostumados a dada coisa, e sair dessa rotina, requer esforço e dedicação. 
Acredito que também já tenhas sentido a alegria de alcançares algo e ficares contente contigo mesmo. Provavelmente para isso criaste hábitos, rituais, rotinas... para cortares a meta numa corrida de 10 km, terás tido um trabalho anterior, que te levou a desenvolver certas acções com alguma regularidade, por exemplo, correr de dois em dois dias um número de quilómetros. Nesses dias de preparação, quase de certeza que tiveste que vencer a preguiça e outros tantos obstáculos que apareceram no teu caminho. Nesses dias o sabor de correr não se compara ao sabor de cortar a meta no dia da prova. 
São esses pequenos passos que nos podem levar à vitória. E na blogosfera é tal e qual a mesma…

Vencedores e Vencidos - Blogs do Ano 2017

A minha curiosidade recaía sobretudo na categoria Família. Pelo segundo ano que Cocó na Fralda está no trono. (Parabéns! )Pelo segundo ano que Dias de Uma Princesa vai à luta com uma das meninas do The Woffice... e perde.
Li para aí, na esfera dos blogs, duras críticas a este concurso, como também algumas dores de cotovelo e um outro tanto de comentários. Que Sónia Morais Santos, Ana Garcia Martins e Catarina Beato têm o jornalismo em comum... e que os Blogs do Ano são levados a cabo pela empresa Media Capital pode parecer uma relação já por si pouco neutra, mas sejamos sinceros: tanto estes blogs e bloggers, como todos os outros que foram a votação, são blogs com muito trabalho investido, muitos anos de existência e muita visão de blogging.
Digamos que estes jogam na primeira liga do campeonato, depois existem outros bons, mas ainda ao nível da segunda e terceira. Se queremos jogar as partidas mais desafiantes do campeonato temos de treinar para isso, com um óptimo treinador e um ex…

Blogging e Social Media em 2017

O blog, por si só, já não é suficiente. Há uns 14 anos atrás escrevia num blog e as pessoas iam visitá-lo directamente... eram familiares, amigos, conhecidos ou desconhecidos, que de um modo ou de outro, tinham tido acesso ao endereço do mesmo. Mas agora ninguém lá vai apenas por ele próprio. Actualmente é preciso muito mais.

Agregar a um blog as potencialidades dos social media torna-se fundamental para quem quer sair da massa e tornar-se uma fatia especial e apetecível do bolo. Existem milhentas pessoas a criarem blogs. Conhecê-las a todas seria insano. E nem todas depois de os criarem, os mantém vivos. Há por aí muito blog morto!

Para criares, dar vida e  fazeres a festa connosco convido-te a ouvir o podcast do Pum Pum, para o qual fui convidada. Clica em https://buff.ly/2m7pRdw e escolhe a plataforma (You Tube, no Facebook, na Mixcloud... ) em que queres ouvir. Coloca no play a caminho para casa, para o trabalho, para a universidade, a arrumar a cozinha... Podes sempre pôr na pau…