sábado, 8 de abril de 2017

|Aniversário| 10 Meses de Menina

Foto: Ana Filipa Oliveira
O cabelo já está a ir para os olhos... castanho clarinho e com jeitos de que ainda encaracola... e ela já está com feições de mais crescida...

Palra muito, com a voz e as mãos. Um discurso que ninguém ainda consegue traduzir, mas ela fala com convicção. 

Ri-se com a boca rasgada, e é fácil de a fazer rir, mas perante desconhecidos e situações estranhas fica com um ar muito céptico.

Prefere sentar-se do que deitar-se. É preguiçosa para voltar-se de barriga para cima ou vice versa. Ainda não gatinha. Faz marcha atrás, rastejando.
Gosta de ficar em pé e dá passinhos inseguros, connosco a segurar, apesar de querer afastar as nossas mãos. Quer dizer, os passos não são inseguros, ela até os dá com assertividade, mas o equilíbrio ainda lhe escapa.

Tem três dentinhos. E mais um que vemos debaixo da pele há meses, mas parece que é tímido e tem dificuldade em furar.

Não é gulotona. Come moderadamente e quando não quer mais, afasta a colher com a mão, vira a cara para o lado, bate com as mãos no tabuleiro e por mais que insista, a colher não entra na boca de lábios cerrados.
Ainda se engasga de vez em quando com comida que tenha pedaços ou grumos maiores, e por isso a mamã ainda prefere dar-lhe tudo mais para o bem triturado. Mas ela olha para a nossa comida com ar de quem já se aventurava.

Desde os sete meses que passou a dar noites tranquilas. De vez em quando, talvez com a questão dos dentes, é que há noites em que tenho de me levantar para dar-lhe a chucha e isso pode ser 2, 3, 4, 5 vezes... mas é raro. Sim, sou uma sortuda.

Gosta muito de ir à rua e fica na sua poltrona com um ar muito observador. As pessoas que se cruzam com ela dizem que é mesmo uma bonequinha, que ela tem um rosto marcante... e nós babamos.

Continua com olhos azuis e grandes. Continuamos sem saber de quem!? Talvez da avó materna ou do avô paterno!? 

Delira com o banho; bate na água, mexe freneticamente com os pés... a casa de banho e a mãe ficam todas encharcadas, mas a alegria é tanta que nem os salpicos que lhe vão para os olhos, ou para a boca em sorriso, a fazem parar. 

Ah, e no tapete de actividades gosta mesmo é de brincar com os pés, como se vê na foto... e os bonequinhos não servem para fazer girar, mas para coçar as gengivas... puxa-os como se puxasse um fruto de uma árvore e lá vai de dentes.

É uma felicidade poder vê-los crescer. Sinto-me tão felizarda de poder estar com ela todo o dia, todas as semanas, todos os meses... e também me sinto muito sortuda de poder confiá-la por horas a pessoas que lhe querem tanto bem, que a sufocam de beijos, que não se cansam de lhe tirarem fotografias, que lhe falam em "bebês"... que a tomam nos braços como também fosse um presente de Deus para elas. 

Que os nossos filhos possam crescer - sempre - rodeados de amor!


Segue A Mulher do 31 (@amulherdo31) também no Instagram e no Facebook.

Sem comentários:

Enviar um comentário

© A Mulher do 31 - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Ana Oliveira.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo