sexta-feira, 7 de abril de 2017

|Saúde| Se a Temos, que a Estimemos

Posso sentir-me feliz, porque apesar da minha actual procura por um estilo de vida saudável, já sou saudável. Parece um paradoxo, mas não é. Apenas quero ser ainda mais saudável. Retirar aquilo que não acrescenta valor à minha saúde e que a longo prazo até a pode prejudicar.

Foto: Ana Filipa Oliveira


Descobri no início de 2015 que sofro de hipotiroidismo. Preciso de medicação para regular a tiróide. Desde cedo, muito criança, tive vários sintomas que ninguém associou a uma intolerância à lactose, e que também só há dois anos é que vi preto no branco, que realmente assim é. Embora já tinha testado no meu corpo e sabia que me sentia muito melhor quando não consumia lacticínios. E olhem que eu era daquelas pessoas que bebia quase um litro de leite por dia, comia imenso queijo, e iogurtes também faziam parte da ementa com regularidade e abundância.

Mas é isto estar doente!? Nao. Isso é apenas um desarranjo, gosto de pensar assim. Se comparar com doenças crónicas ou o famoso cancro, isto é zero, nada. Todos os males da humanidade fosse hipotiroidismo e intolerância à lactose e voltávamos ao Paraíso. O que tenho está controlado, através de medicação, mas acredito vir a viver sem medicação e sem esses "desarranjos". O poder da mente, e sobretudo o poder divino (sim! eu creio), são fontes de libertação daquilo que nos faz mal.

Só quem vê a sua saúde (e vida) realmente ameaçada, ou a perde, é que lhe sabe dar o real valor. Em geral não pensamos muito nela, até que haja sinal do contrário, ou seja, que estamos doentes. Sei disso por familiares bem próximos que nos últimos anos têm vindo a sofrer ataques ao seu bem estar, através de doenças autoimunes, crónicas e cancro.

Provavelmente por isso os últimos anos têm trazido consigo esse temor: se a tenho, que a estime. Procurar ter uma vida saudável é um estilo de vida. É optar pelo que nos faz bem. Aquilo que preserva a nossa saúde. E quando falamos em saúde, não é só física, tanto mental, emocional como espiritual. 

Em geral tenho tendência a dar mais atenção ao meu equilíbrio psíquico, do que me focar no corporal, porque acredito que o primeiro comanda o segundo. Mas colocar os olhos nos dois, que é o que venho a fazer, traz-me ainda mais qualidade de vida.

Coragem, para aqueles que sofrem! E sabedoria, para aqueles que vivem despreocupados! Bom Dia Mundial da Saúde, para todos.


Segue A Mulher do 31 (@amulherdo31) também no Instagram e no Facebook.

Sem comentários:

Enviar um comentário

© A Mulher do 31 - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Ana Oliveira.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo