Avançar para o conteúdo principal

|Mães Felizes| Os Euros ditam o seu Valor?

Foto: Kaboompics.com
Depois de uma semana de ausência da série Mães Felizes, voltamos com um hábito muito relevante nos dias que correm: Dinheiro. Qual é valor que lhe dá? O seu valor próprio está intimamente ligado com ele? Meg Meeker, ao longo do capítulo que dedica a este hábito, partilha com o leitor histórias de pessoas como eu e você e, no final, resume em três tópicos o que nós devemos fazer neste domínio para nos tornarmos em mães com mais prazer em sê-lo.

  1. Abra mão e agarre a mão que lhe oferecem - esta é a verdadeira segurança: termos dinheiro muitas vezes afasta-nos das pessoas. Sentimos que já não precisamos de ninguém para viver. E na verdade, tenhamos dinheiro ou não, somos seres sociais, vivemos num sistema, e precisamos sempre de alguém. Já passei por situações que me mostraram isso mesmo. Fiz duas formações sem ter dinheiro para as pagar. Simplesmente abri as minhas mãos e agarrei a mão de quem me oferecia. Paguei os cursos com trabalho meu. Mas já aconteceu ser ajudada sem dar nada em troca. Uma amiga em quem confio plenamente sabe as minhas fraquezas e ajudou-me, tratando de um aspecto da minha vida, sem receber nada em troca. Por vezes temos de abrir mão do nosso orgulho, do dinheiro que possamos ter, para que ela fique vazia e o outro possa dar-nos a dele. E assim caminharmos juntos. A segurança vem de ter uma rede de afecto, que nos suporta nas aflições e se alegra connosco nas nossas vitórias.

  2. Pergunte-se porque é que está a puxar da carteira: existem pessoas que quando vamos com elas a um café querem sempre pagar a conta... existem umas que discutem com elas, querendo elas pagar... existem outras que as deixam pagar... O que nos leva a puxar da carteira? O não querer ficar a dever nada a ninguém? O querer mostrar-se que é muito generoso? É sempre frutuoso reflectirmos sobre os nossos actos. Agir com total consciência do que fazemos, retira-nos muitos pesos e ilusões, e garante-nos melhores decisões.

  3. O contentamento está em casa - não no dinheiro: o dinheiro muitas vezes está ligado ao trabalho. E o trabalho, por sua vez, à nossa ausência no lar que construímos. Muitas vezes torna-se difícil conciliar dinheiro e casa, parecendo que o dinheiro nos retira de lá, nos afasta da família. No entanto, se analisarmos bem, qual é a fonte do nosso contentamento?! As risadas dos nossos filhos, o olhar do nosso marido ou as palmadas nas costas dos nossos colegas? O verdadeiro contentamento vem da felicidade partilhada com aqueles que fazem a caminhada diariamente connosco, seja dia útil, ou feriado, ou fim de semana, ou férias... 
Aproveite esta semana para praticar estas três dicas do livro "Os 10 Hábitos das Mães Felizes". E na próxima terça feira, faça muito calor ou só assim assim, cá teremos mais um hábito, para pouco a pouco termos mais prazer em ser mãe.


Segue A Mulher do 31 (@amulherdo31) também no Instagram e no Facebook.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

A Tua Rotina Dita O Teu Sucesso

"O ser humano é um animal de hábitos.", provavelmente já ouviste esta expressão. Se não a ouviste, sendo tu humano, de certo que já sentiste a dificuldade de deixar um hábito ou instalar um novo. Isso deve-se a que estamos acostumados a dada coisa, e sair dessa rotina, requer esforço e dedicação. 
Acredito que também já tenhas sentido a alegria de alcançares algo e ficares contente contigo mesmo. Provavelmente para isso criaste hábitos, rituais, rotinas... para cortares a meta numa corrida de 10 km, terás tido um trabalho anterior, que te levou a desenvolver certas acções com alguma regularidade, por exemplo, correr de dois em dois dias um número de quilómetros. Nesses dias de preparação, quase de certeza que tiveste que vencer a preguiça e outros tantos obstáculos que apareceram no teu caminho. Nesses dias o sabor de correr não se compara ao sabor de cortar a meta no dia da prova. 
São esses pequenos passos que nos podem levar à vitória. E na blogosfera é tal e qual a mesma…

Vencedores e Vencidos - Blogs do Ano 2017

A minha curiosidade recaía sobretudo na categoria Família. Pelo segundo ano que Cocó na Fralda está no trono. (Parabéns! )Pelo segundo ano que Dias de Uma Princesa vai à luta com uma das meninas do The Woffice... e perde.
Li para aí, na esfera dos blogs, duras críticas a este concurso, como também algumas dores de cotovelo e um outro tanto de comentários. Que Sónia Morais Santos, Ana Garcia Martins e Catarina Beato têm o jornalismo em comum... e que os Blogs do Ano são levados a cabo pela empresa Media Capital pode parecer uma relação já por si pouco neutra, mas sejamos sinceros: tanto estes blogs e bloggers, como todos os outros que foram a votação, são blogs com muito trabalho investido, muitos anos de existência e muita visão de blogging.
Digamos que estes jogam na primeira liga do campeonato, depois existem outros bons, mas ainda ao nível da segunda e terceira. Se queremos jogar as partidas mais desafiantes do campeonato temos de treinar para isso, com um óptimo treinador e um ex…

Blogging e Social Media em 2017

O blog, por si só, já não é suficiente. Há uns 14 anos atrás escrevia num blog e as pessoas iam visitá-lo directamente... eram familiares, amigos, conhecidos ou desconhecidos, que de um modo ou de outro, tinham tido acesso ao endereço do mesmo. Mas agora ninguém lá vai apenas por ele próprio. Actualmente é preciso muito mais.

Agregar a um blog as potencialidades dos social media torna-se fundamental para quem quer sair da massa e tornar-se uma fatia especial e apetecível do bolo. Existem milhentas pessoas a criarem blogs. Conhecê-las a todas seria insano. E nem todas depois de os criarem, os mantém vivos. Há por aí muito blog morto!

Para criares, dar vida e  fazeres a festa connosco convido-te a ouvir o podcast do Pum Pum, para o qual fui convidada. Clica em https://buff.ly/2m7pRdw e escolhe a plataforma (You Tube, no Facebook, na Mixcloud... ) em que queres ouvir. Coloca no play a caminho para casa, para o trabalho, para a universidade, a arrumar a cozinha... Podes sempre pôr na pau…