terça-feira, 13 de junho de 2017

|Mães Felizes| Os Euros ditam o seu Valor?

Foto: Kaboompics.com
Depois de uma semana de ausência da série Mães Felizes, voltamos com um hábito muito relevante nos dias que correm: Dinheiro. Qual é valor que lhe dá? O seu valor próprio está intimamente ligado com ele? Meg Meeker, ao longo do capítulo que dedica a este hábito, partilha com o leitor histórias de pessoas como eu e você e, no final, resume em três tópicos o que nós devemos fazer neste domínio para nos tornarmos em mães com mais prazer em sê-lo.

  1. Abra mão e agarre a mão que lhe oferecem - esta é a verdadeira segurança: termos dinheiro muitas vezes afasta-nos das pessoas. Sentimos que já não precisamos de ninguém para viver. E na verdade, tenhamos dinheiro ou não, somos seres sociais, vivemos num sistema, e precisamos sempre de alguém. Já passei por situações que me mostraram isso mesmo. Fiz duas formações sem ter dinheiro para as pagar. Simplesmente abri as minhas mãos e agarrei a mão de quem me oferecia. Paguei os cursos com trabalho meu. Mas já aconteceu ser ajudada sem dar nada em troca. Uma amiga em quem confio plenamente sabe as minhas fraquezas e ajudou-me, tratando de um aspecto da minha vida, sem receber nada em troca. Por vezes temos de abrir mão do nosso orgulho, do dinheiro que possamos ter, para que ela fique vazia e o outro possa dar-nos a dele. E assim caminharmos juntos. A segurança vem de ter uma rede de afecto, que nos suporta nas aflições e se alegra connosco nas nossas vitórias.

  2. Pergunte-se porque é que está a puxar da carteira: existem pessoas que quando vamos com elas a um café querem sempre pagar a conta... existem umas que discutem com elas, querendo elas pagar... existem outras que as deixam pagar... O que nos leva a puxar da carteira? O não querer ficar a dever nada a ninguém? O querer mostrar-se que é muito generoso? É sempre frutuoso reflectirmos sobre os nossos actos. Agir com total consciência do que fazemos, retira-nos muitos pesos e ilusões, e garante-nos melhores decisões.

  3. O contentamento está em casa - não no dinheiro: o dinheiro muitas vezes está ligado ao trabalho. E o trabalho, por sua vez, à nossa ausência no lar que construímos. Muitas vezes torna-se difícil conciliar dinheiro e casa, parecendo que o dinheiro nos retira de lá, nos afasta da família. No entanto, se analisarmos bem, qual é a fonte do nosso contentamento?! As risadas dos nossos filhos, o olhar do nosso marido ou as palmadas nas costas dos nossos colegas? O verdadeiro contentamento vem da felicidade partilhada com aqueles que fazem a caminhada diariamente connosco, seja dia útil, ou feriado, ou fim de semana, ou férias... 
Aproveite esta semana para praticar estas três dicas do livro "Os 10 Hábitos das Mães Felizes". E na próxima terça feira, faça muito calor ou só assim assim, cá teremos mais um hábito, para pouco a pouco termos mais prazer em ser mãe.


Segue A Mulher do 31 (@amulherdo31) também no Instagram e no Facebook.

Sem comentários:

Enviar um comentário

© A Mulher do 31 - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Ana Oliveira.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo