quarta-feira, 28 de junho de 2017

|Mães Felizes| A Fé Move Montanhas

Foto: Pixabay.com
Durante os dias mais mediaticamente intensos do incêndio de Pedrógão Grande reparei que Deus estava na boca de uns e de outros. Uns, que tinham vivido o drama, diziam que na altura que as labaredas os rodeavam só lhes havia restado rezar. Outros, aqueles que viram a tragédia à distância, perguntavam se existia realmente Deus, e existindo porque era injusto, e que perante tais acontecimentos preferiam ser agnósticos.

A fé move montanhas. É nela que se encontra a paz interior para se enfrentar tempestades. E a fé é algo interior que nada tem a ver com preceitos religiosos. Fé e religião não são a mesma, embora estejam ligadas.

Como mães torna-se essencial que tenhamos fé, pois essa será alimento para o nosso espírito. Claro que nos lembramos mais dela nos tempos de aflição... e isso não é incorrecto, é normal. O ideal seria que a fé fosse algo presente no nosso dia a dia... assim como o ideal é comermos todos os dias para o bem estar do nosso corpo.

Meg Meeker, autora do livro "Os 10 Hábitos das Mães Felizes", indica-nos quatro pilares do quinto hábito: Valorize e Pratique a Fé.

  1. Pense antes de dar o salto: ter fé não é algo instantâneo... e ter fé pressupõe ter fé em alguma coisa... como é que podemos ter fé em algo que não conhecemos totalmente?! É bom que leia a respeito. Muito. E que questione o que lê. Há que ter fé, mas não uma fé cega. E sinta profundamente o bem que isso lhe faz. A fé cresce das experiências... de fé.
  2. Torne-a pessoal: cultive essa fé. Procure criar uma relação com Deus. A oração é um excelente caminho. Através dela conectamo-nos com Deus, e ficamos mais próximos d'Ele do que das regras religiosas. Aprenda a esperar uma resposta às suas orações. Nesta relação pessoal com Deus cresce a fé.
  3. Arranje uma comunidade: procure pessoas que tenham a mesma fé. Em grupo é mais fácil de manter a chama acesa. Quando temos momentos bons somos capazes de esquecer qual a fonte da nossa paz interior. As pessoas da nossa comunidade acompanham-nos em todas as fases... avivando-nos a fé. Mas não só, com essa comunidade pode trocar experiências e conhecimentos, mas também receber e dar ajuda. Como mãe, quantas vezes não precisou disso!?
  4. Sirva: acredito que na sua agenda não exista muito espaço para ainda ter mais uma tarefa extra. Mas servir não é trabalho, é prazer, quando o fazemos com a verdadeira fé. Onde quer que estejamos podemos ajudar o próximo. E quando existir mais tempo livre no seu calendário... que tal colaborar na obra dos menos favorecidos?! Quando ajudamos o próximo, acabamos por receber tanto em troca, que talvez nunca tenha imaginado.

Uma mãe com fé ultrapassa melhor o dia a dia e, sobretudo, tem onde se agarrar quando sente que as forças se esgotam. Mas há mais hábitos para descobrir, no caminho para a maternidade com ainda mais prazer. O próximo, o sexto, dedica-se aos medos. Haja liberdade! 

Esta série |Mães Felizes| regressa na próxima terça feira.


Segue A Mulher do 31 (@amulherdo31) também no Instagram e no Facebook.

Sem comentários:

Enviar um comentário

© A Mulher do 31 - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Ana Oliveira.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo