Avançar para o conteúdo principal

Cor e Dor

O cor de rosa invadiu o universo azul cá de casa. Estava habituada ao mundo dos meninos. Há quem diga que não existe diferença entre educar um menino ou educar uma menina. Eu acredito que sim, que existe diferença. Ainda me lembro quando fui comprar o material escolar da primeira classe para o Guilherme e ele reclamou da capa do bloco de papel de desenho. Juro que eu nem dei conta do caso, não fosse ele a reclamar. Na capa estava uma fada... e isso é de menina. Eu, como estava habituada a comprar material para a menina que sou, nem dei conta do pormenor. Resumindo tive que ir comprar um novo bloco desta vez com um motivo mais neutro: um animal.
Bem, mas estava a contar que estava habituada ao meu menino. Não só nas cores que ele vestia, nos detalhes que ele preferia no bloco de papel, mas também ao seu carácter forte, rijo, resistente... e também pacífico, sereno... a Mariana tem-me testado com novas características. É sensível, chorona e reclama sem cessar por aquilo que quer até conseguir. Mas ontem não conseguiu.
Ontem fomos ao médico e foi vacinada pela primeira vez. Foi daqueles dias que não contam para a alegria de ser mãe. Aqueles dias que antes deles nascerem não fazem parte dos nossos sonhos, dos dias cor de rosa que vimos no nosso filme... Mas fazem parte. E têm de se viver, não dá para passar a outro.
Um dos testes pelo qual ela me fez (e faz) passar é o de chorar ao ponto de ficar completamente vermelha e com a respiração sustida. Foi o que aconteceu ontem no consultório, mas numa versão extrema. Pensei que ela desmaiava e eu a seguir. Mesmo depois de receber as duas vacinas injectáveis, uma em cada perna, e uma bebível e desta cena, o choro continuou. Mal conseguia ouvir o médico. E de tal modo foi que ficou cansada e adormeceu no carro, sem querer saber de mamar. O irmão, que nos acompanhou, ficou aflito por ela e dizia que não a conseguia ver assim.
Com o Guilherme era suave o processo. Ele não se queixava muito. Com ela, aprendo a conhecer limites meus que ainda estavam por explorar e a acreditar que Deus nos faz fortes nos momentos de aflição. É aí que nos superamos e que percebemos de que carne e espírito somos feitos. Nem sempre é fácil. Não. Mas sempre pode ser transformador.

Comentários

  1. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Meninas e meninos são difetentes,sim
    Cada um com suas características, umas intrínsecas à natureza humana e outras que se incorporam vida afora. Tudo a ver com escolhas de cor, forma, tamanho, etc. Mas nada a ver com "rosa e azul",e por aí.Beijinhos. Mariana está linda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lúcia.
      Obrigada pela visita e pelo comentário.
      Volte sempre, que será sempre bem vinda.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Vencedores e Vencidos - Blogs do Ano 2017

A minha curiosidade recaía sobretudo na categoria Família. Pelo segundo ano que Cocó na Fralda está no trono. (Parabéns! )Pelo segundo ano que Dias de Uma Princesa vai à luta com uma das meninas do The Woffice... e perde.
Li para aí, na esfera dos blogs, duras críticas a este concurso, como também algumas dores de cotovelo e um outro tanto de comentários. Que Sónia Morais Santos, Ana Garcia Martins e Catarina Beato têm o jornalismo em comum... e que os Blogs do Ano são levados a cabo pela empresa Media Capital pode parecer uma relação já por si pouco neutra, mas sejamos sinceros: tanto estes blogs e bloggers, como todos os outros que foram a votação, são blogs com muito trabalho investido, muitos anos de existência e muita visão de blogging.
Digamos que estes jogam na primeira liga do campeonato, depois existem outros bons, mas ainda ao nível da segunda e terceira. Se queremos jogar as partidas mais desafiantes do campeonato temos de treinar para isso, com um óptimo treinador e um ex…

Blogging e Social Media em 2017

O blog, por si só, já não é suficiente. Há uns 14 anos atrás escrevia num blog e as pessoas iam visitá-lo directamente... eram familiares, amigos, conhecidos ou desconhecidos, que de um modo ou de outro, tinham tido acesso ao endereço do mesmo. Mas agora ninguém lá vai apenas por ele próprio. Actualmente é preciso muito mais.

Agregar a um blog as potencialidades dos social media torna-se fundamental para quem quer sair da massa e tornar-se uma fatia especial e apetecível do bolo. Existem milhentas pessoas a criarem blogs. Conhecê-las a todas seria insano. E nem todas depois de os criarem, os mantém vivos. Há por aí muito blog morto!

Para criares, dar vida e  fazeres a festa connosco convido-te a ouvir o podcast do Pum Pum, para o qual fui convidada. Clica em https://buff.ly/2m7pRdw e escolhe a plataforma (You Tube, no Facebook, na Mixcloud... ) em que queres ouvir. Coloca no play a caminho para casa, para o trabalho, para a universidade, a arrumar a cozinha... Podes sempre pôr na pau…

A Tua Rotina Dita O Teu Sucesso

"O ser humano é um animal de hábitos.", provavelmente já ouviste esta expressão. Se não a ouviste, sendo tu humano, de certo que já sentiste a dificuldade de deixar um hábito ou instalar um novo. Isso deve-se a que estamos acostumados a dada coisa, e sair dessa rotina, requer esforço e dedicação. 
Acredito que também já tenhas sentido a alegria de alcançares algo e ficares contente contigo mesmo. Provavelmente para isso criaste hábitos, rituais, rotinas... para cortares a meta numa corrida de 10 km, terás tido um trabalho anterior, que te levou a desenvolver certas acções com alguma regularidade, por exemplo, correr de dois em dois dias um número de quilómetros. Nesses dias de preparação, quase de certeza que tiveste que vencer a preguiça e outros tantos obstáculos que apareceram no teu caminho. Nesses dias o sabor de correr não se compara ao sabor de cortar a meta no dia da prova. 
São esses pequenos passos que nos podem levar à vitória. E na blogosfera é tal e qual a mesma…