domingo, 3 de julho de 2016

Em Rede

As saudades de voltar a escrever falaram mais alto do que os obstáculos que me têm feito ficar longe da partilha do meu dia a dia, das minhas experiências e perspectivas acerca do que sou, do que me rodeia...
Sinto uma lufada de ar fresco a entrar na minha vida. Quero a liberdade de ser quem sou e viver isso intensamente, sem abrigos, nem refúgios.
Contem com as minhas palavras, os meus testemunhos, as minhas aventuras... acredito que a vida tem muito mais sentido quando partilhada, quando transparente... não pretendo ser exemplo para ninguém, pois sou tão imperfeita como qualquer um... mas creio que por vezes um outro olhar, uma nova perspectiva sobre uma situação ou tema, pode mudar muita coisa nas nossas vidas. Se as guardarmos para nós mesmos, então não produzem frutos. Quero ser uma figueira que dê figos! Não para minha glória, mas para o bem comum.
Não faço promessas. Mas tenho o desejo de escrever diariamente. Sinto que a escrita, quando não treinada, enferruja. Quero escrever de novo com leveza, com a capacidade de brincar com as palavras... porque me faz bem à alma, por me conecta com o outro, esse outro que está agora a ler este texto, que posso conhecer ou ainda não... mas com o qual, de alguma forma, estou ligada... na rede que a internet é, mas sobretudo na rede que a humanidade tece em conjunto.

Sem comentários:

Enviar um comentário

© A Mulher do 31 - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Ana Oliveira.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo