quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Mãe Básica e Simples (Sem Super Poderes)

Mães super sensíveis, mães que detectam doenças antes delas se revelarem, mães que através de um olhar sabem o que os filhos pensam, mães que através do choro percebem as necessidades do bebé... existem mães destas espalhadas por aí. Tomem cuidado para não se desmorecerem ao pé delas.
Leio alguns textos que fico a pensar: "Devo ser uma mãe pouco dotada! Não tenho essa capacidade." Não me estou a diminuir. Sei que sou mãe e uma boa mãe. Dou o meu melhor... e parece que esse não tem os super poderes que foram doados a essas mães que descrevo.
Erro muitas vezes. Por vezes penso que sei alguma coisa, que os conheço lindamente, e pode ser que acerte; mas há outras vezes que é mesmo ao lado, que não era isso, era aquilo. Confesso, desconfio que mesmo essas mães falham muitas vezes nas suas avaliações. Os bebés, as crianças, aliás as pessoas em geral não são robots com comportamentos standard e completamente previsíveis.
Talvez esteja sozinha nesta forma tão básica e simples de ser mãe. Se calhar sou a única que não lê os filhos como uma fórmula lógica de matemática. Provavelmente estou só neste jeito de viver a maternidade. Ou há por aí mais alguém? 

Sem comentários:

Enviar um comentário

© A Mulher do 31 - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Ana Oliveira.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo