Avançar para o conteúdo principal

10 Erros da Minha Experiência de 13 anos como Blogger

Há 13 anos atrás, neste mesmo dia, criava o meu primeiro blog. E digo o meu primeiro, porque a seguir a esse vieram muitos mais. Nesta caminhada aprendi muito. Aprendi sobretudo com os erros. A Mulher do 31 tornou-se o meu projecto mais sério, pois é neste blog que estou a colocar em prática o que aprendi com as ratoeiras do passado. Aliás, qualquer blogger que comece pode facilmente ser apanhado nestes laços... e assim ver o seu blog estagnado, ou mesmo à beira da morte. Vamos lá a ressuscitar. Estes são os meus 10 erros:

1. Saltitar de blog em blog - por natureza sou uma pessoa que se apaixona facilmente por novos projectos; sou uma idiota, quer dizer, tenho muitas ideias... e depois fico tão entusiasmada! E quando fico eufórica com algum tema, alguma actividade... acabo por mergulhar de cabeça, mas chega a um ponto que não há consistência e sufoco. Depois mudo para outro tema, que aos meus olhos se tornou bombástico, e dou tudo de mim. E assim é muito fácil ir criando novos blogs, ou páginas de internet, sem que haja uma coerência e consistência. Assim, nenhum blog ou página tem tempo suficiente para amadurecer e crescer. Por isso, é melhor que se escolha uma base, um poiso, e aí desenvolver as nossas ideias, a nossa criatividade. Se hoje tenho um Onde a Lua Anda, amanhã um Coisas Banais e noutro dia um Mistura à Portuguesa... como quero que alguém saiba por onde ando? Onde me encontrar?

2. Mudar de blog por causa do nome - o blog que estava a crescer em visitantes e o qual era mais actualizado chamava-se Coisas Banais. Às tantas comecei a ouvir muitas vezes que o nome do blog não era coincidente com aquilo que escrevia, que não era nada banal, que era interessante... e, assim, acabei por emigrar para outro espaço virtual. E o que é que aconteceu? Os que seguiam o Coisas Banais perderam-se. E era como começar do zero. O que me custava um empenho que na altura não tinha para oferecer ao novo blog! Resumindo, mais um falhanço.

3. Dar ouvidos às críticas - na época que comecei a escrever na blogosfera ainda não se sabia muito acerca de blogs e nem como divulgar. Eu comecei a usar os meus contactos de correio electrónico para divulgar os posts que publicava. Recordo-me que na altura recebi vários emails de volta a perguntar se nos conhecíamos, da onde... Mas duas mensagens electrónicas em particular ficaram na minha mente e mexeram comigo. Uma delas de uma colega de universidade, que me chamava uns nomes por estar a usar os emails para divulgar textos, que ela não considerava interessantes. Outra foi de uma pessoa chegada que me chamava a atenção para o facto de estar a enviar essas mensagens a pessoas da sua esfera profissional, mensagens cujo conteúdo eram too much. Apesar dessas críticas continuei. Até que veio o Facebook e a divulgação através dele. Mais críticas... desta vez ligadas à privacidade. Que não devia partilhar isto, porque aquilo... e assim, e assado. Aos poucos, o meu ânimo foi declinando, ao ponto de deixar de escrever. Atenção, que as críticas não matam, mas moem. E nesta área temos de estar preparados para lidar com elas, sabendo exactamente o que queremos, para onde vamos... e protegendo-nos de sermos contagiados por elas.

4. Não publicar diariamente - por começar a desanimar, ora pelas críticas, ora pelo facto de não ter muitos visitantes, seguidores e comentadores, cada vez ia publicando menos. Partilhar com frequência é realmente importante. Vê-se nas estatísticas que os números aumentam a cada post. É essencial também para criar uma rotina. O leitor assim sabe que pode ir ao blog e encontrar algo novo. Caso contrário, entra uma vez "nada novo", entra outra vez "nada novo"... já não volta mais. Além disso essa regularidade traz uma espécie de proximidade para com quem lê, que leva a uma relação. É daí que podem nascer os visitantes assíduos. E até amigos.

5. Não publicar com continuidade acerca de um tema ou situação - notei que publicava hoje sobre a dieta que estava a fazer, mas depois nunca mais dizia nada sobre o assunto. Ou escrevia sobre outra situação, mas não actualizava o andamento da mesma. Este meu comportamento blogueiro levava a que não existisse continuidade. Era como que se ficasse em suspenso. Tinha sempre várias pontas soltas, mas não desenrolava o assunto. Imaginem um quadro com uma pincelada aqui, outra acolá, mas sem ligação, sem uma imagem que ligasse essas pinceladas ou que as tornasse atractivas. Era assim o meu blog. Essa consistência, que faltou aos meus blogs, também contribuiu de certo para não ser apelativo. E, assim, gerar tráfego.

6. Ter vários ao mesmo tempo - como disse logo no primeiro tópico, sou uma pessoa que gosta de muitas coisas, de coisas diferentes e que mergulha nelas com intensidade... normalmente com um entusiasmo de curta duração. Por isso é fácil de compreender porque é que tive diferentes blogs ao mesmo tempo. Tinha o Coisas Banais e o Eira no Sol. Tinha o e.ComTato e ao mesmo tempo o Fotografia de Principiante e o Dieta com Deus. Qual é o problema? Não conseguia gerir um, quanto mais dois ou três em simultâneo. O meu foco dispersava-se e era natural que não visse frutos. Há que colocar a energia em algo que realmente queremos ver crescer. Talvez por isso A Mulher do 31 seja tão abrangente, pareça uma salada russa... mas mais vale ter tudo concentrado num local, do que espalhado e sem vida.

7. Pensar muito e fazer pouco - ainda hoje lido com esta minha tendência. Leio, e vejo diverso material sobre blogging, e depois não invisto na actualização. É bom aprofundarmos o nosso conhecimento neste campo, mas não ao ponto de retirar tempo e espaço mental para mantermos o dinamismo do nosso blog. Perfeito nunca vai ser. Por isso, para a frente que atrás vem gente.

8. Não seguir e interagir com outros blogs - cada vez que publico um comentário num outro blog vejo que recebo visitantes a partir daí. Ficar a escrever no nosso canto e não interagir com os restantes, que também moram na blogosfera, mostra-se uma atitude autista da nossa parte. Para além de ser interessante de saber o que os outros bloggers andam a fazer, também é muito salutar criar relações virtuais. Eu tenho aprendido muito com outras bloggers, tanto no que respeita ao blog, como à vida em geral. Vale a pena investir algum do nosso tempo a visitar e comentar outros blogs.

9. Não analisar as estatísticas do blog - durante muito tempo só olhava para o número de pessoas que tinham visitado o blog. Por exemplo é muito interessante perceber as palavras chave que nos trouxeram tráfego. Ou saber de onde vieram os visitantes. Se analisarmos os vários dados do campo das estatísticas podemos expandir o nosso blog, chegar a muito mais pessoas.

10. Desistir - por fim, o grande, o GRANDÍSSIMO ERRO: desistir. Já vos disse acima que criei vários blogs. Cada vez que criava um, inconscientemente desistia dos outros. E cada vez que apagava um blog, desistia desse, e da minha vida de blogger. Mas a verdade é que esses actos eram apenas os finais. Eu desistia do blog cada vez que não o alimentava com novos textos, novas ideias. Quando oiço bloggers, hoje com sucesso, que estão na blogosfera há 7, 8 anos... penso, "porque é que desistes?"

Pois é, desisti várias vezes, e várias vezes recomecei. A Mulher do 31, se não estou em erro, é o meu blog número 11. Talvez seja desta. Se eu for inteligente (que acho que sou), aprenderei com estes erros. Vocês não precisam de os cometer também.

Comentários

  1. Gostei deste post! Introspecção para avançar! 😘

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pelas dicas, Ana!
    Revi-me em alguns dos pontos que escreveste.
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De nada. Volta sempre. Este final de Agosto A Mulher do 31 tem publicado vários posts sobre o tema blogging. :-) Já deste uma vista de olhos?

      Eliminar
    2. Só li dois dos teus artigos mas hei de voltar com mais tempo para "folhear" o blog todo :) Gostei da tua escrita e dos temas sobre os quais escreves.
      Certamente vou aprender muita coisa sobre o tema. Obrigada e até já!

      Eliminar
    3. Ai, que alegria! Também fiquei contente por te teres tornado a seguidora 22 kkkkkk
      Obrigada.

      Eliminar
  3. Muito interessante, me vi em uns 2 tópicos que posso melhorar. Bom ler noticias de blogs tão longe ♥

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que você ter vindo e ter gostado! Volte sempre... na net nada é longe :-)

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

A Tua Rotina Dita O Teu Sucesso

"O ser humano é um animal de hábitos.", provavelmente já ouviste esta expressão. Se não a ouviste, sendo tu humano, de certo que já sentiste a dificuldade de deixar um hábito ou instalar um novo. Isso deve-se a que estamos acostumados a dada coisa, e sair dessa rotina, requer esforço e dedicação. 
Acredito que também já tenhas sentido a alegria de alcançares algo e ficares contente contigo mesmo. Provavelmente para isso criaste hábitos, rituais, rotinas... para cortares a meta numa corrida de 10 km, terás tido um trabalho anterior, que te levou a desenvolver certas acções com alguma regularidade, por exemplo, correr de dois em dois dias um número de quilómetros. Nesses dias de preparação, quase de certeza que tiveste que vencer a preguiça e outros tantos obstáculos que apareceram no teu caminho. Nesses dias o sabor de correr não se compara ao sabor de cortar a meta no dia da prova. 
São esses pequenos passos que nos podem levar à vitória. E na blogosfera é tal e qual a mesma…

Vencedores e Vencidos - Blogs do Ano 2017

A minha curiosidade recaía sobretudo na categoria Família. Pelo segundo ano que Cocó na Fralda está no trono. (Parabéns! )Pelo segundo ano que Dias de Uma Princesa vai à luta com uma das meninas do The Woffice... e perde.
Li para aí, na esfera dos blogs, duras críticas a este concurso, como também algumas dores de cotovelo e um outro tanto de comentários. Que Sónia Morais Santos, Ana Garcia Martins e Catarina Beato têm o jornalismo em comum... e que os Blogs do Ano são levados a cabo pela empresa Media Capital pode parecer uma relação já por si pouco neutra, mas sejamos sinceros: tanto estes blogs e bloggers, como todos os outros que foram a votação, são blogs com muito trabalho investido, muitos anos de existência e muita visão de blogging.
Digamos que estes jogam na primeira liga do campeonato, depois existem outros bons, mas ainda ao nível da segunda e terceira. Se queremos jogar as partidas mais desafiantes do campeonato temos de treinar para isso, com um óptimo treinador e um ex…

Blogging e Social Media em 2017

O blog, por si só, já não é suficiente. Há uns 14 anos atrás escrevia num blog e as pessoas iam visitá-lo directamente... eram familiares, amigos, conhecidos ou desconhecidos, que de um modo ou de outro, tinham tido acesso ao endereço do mesmo. Mas agora ninguém lá vai apenas por ele próprio. Actualmente é preciso muito mais.

Agregar a um blog as potencialidades dos social media torna-se fundamental para quem quer sair da massa e tornar-se uma fatia especial e apetecível do bolo. Existem milhentas pessoas a criarem blogs. Conhecê-las a todas seria insano. E nem todas depois de os criarem, os mantém vivos. Há por aí muito blog morto!

Para criares, dar vida e  fazeres a festa connosco convido-te a ouvir o podcast do Pum Pum, para o qual fui convidada. Clica em https://buff.ly/2m7pRdw e escolhe a plataforma (You Tube, no Facebook, na Mixcloud... ) em que queres ouvir. Coloca no play a caminho para casa, para o trabalho, para a universidade, a arrumar a cozinha... Podes sempre pôr na pau…