Avançar para o conteúdo principal

|Mães Felizes| Seja Dona da Sua Vida

Foto: Splitshire.com/
A mãe e pediatra Meg Meeker partilhou, com milhares de leitoras espalhadas pelo mundo, os segredos para uma vida (como mães) mais prazerosa. Compilou tudo num livro intitulado "Os 10 Hábitos das Mães Felizes". A Mulher do 31 tem vindo, às terças feiras, a escrever sobre cada um desses hábitos. Quem só agora entra nesta viagem pode sempre ler os textos anteriores da série | Mães Felizes | e continuar connosco. Hoje vamos abordar o nono hábito: Seja Dona da Sua Vida.

Talvez algumas de nós encarem esta questão como se isso revelasse egoísmo da nossa parte. Muitas de nós, acredito que foram ensinadas a pensar mais nos outros do que em si próprias. Por isso quando pensam em tomar a liderança da sua vida, cria-se um certo atrito interior. Mas, desiluda-se, ser dona da nossa vida é tomar as rédeas dela com liberdade e consciência... o que em nada se opõe a continuarmos a pensar nos outros.

Contudo para segurarmos o volante da nossa vida há que fazer um trabalho interior, que Meg Meeker resume em quatro passos:
  1. Decida viver das suas forças, não das fraquezas: diminuirmo-nos e lamentarmos retira-nos energia, e desconecta-nos do nosso centro. Quando não estamos em sintonia connosco próprias torna-se difícil que consigamos ser responsáveis e conscientes das nossas escolhas diárias. Ou seja, acabamos por nos deixar levar pelas circunstâncias, pelos palpites dos outros... portanto, o primeiro passo para reverter esta situação, é conhecermo-nos, sabermos o que somos, e focarmo-nos nas nossas qualidades, as forças do nosso carácter.

  2. Diga sim ou diga não, mas diga o que pensa: muitas de nós temos tendência para dizer sim a tudo, mesmo que a vontade fosse dizer o contrário. Existem as do contra, que preferem dizer não a tudo. Mas em geral acho que a educação ocidental levou-nos a concordar como forma de respeito. Desengane-se. Respeitar o outro é ser verdadeiro com ele. Respeitar-nos a nós, é sermos honestas connosco mesmas. Também existe outra tendência clara no nosso meio... quando temos de dizer algo que não vá de acordo com as expectativas do nosso interlocutor, justificamo-nos até à exaustão. Não fazemos isso frequentemente com os nossos filhos?! Este segundo passo pede-nos que digamos o que pensamos, e mantermo-nos serenas, sem discursos justificativos, nem pedidos indirectos de desculpa pela nossa honestidade. Isso vai fazer com que nos levem cada vez mais a sério, inclusive os nossos filhos.

  3. Diga a verdade - sempre: os segredos ou as omissões e as mentiras são traiçoeiros. Num primeiro olhar parece que nos ajudam, mas lá no fundo passam-nos a perna. Por um lado, quando omitimos ou mentimos, sabemos que o estamos a fazer. Logo aí a nossa consciência começa a ficar pesada, e a nossa atitude para com o outro não é mais autêntica e transparente. Por outro lado temos de andar cautelosas para não desmascarar a mentira ou a omissão... e isso requer muita atenção e cuidado da nossa parte. E mais, quando começamos a mentir, dificilmente podemos continuar a história apenas e só com a verdade. Quero com isto dizer, que as mentiras são como as cerejas: umas atrás das outras, uma pequena puxa uma maior. E os nossos filhos, que assistem a esta nossa atitude!? Seremos um bom exemplo!? Poderemos chamá-los a atenção quando nos mentirem ou omitirem!? Por isso, e por mais que nos doa a nós e/ou aos outros, opte sempre pela verdade.

  4. Controle a sua culpa: se queremos ser donas das nossas vidas não nos podemos deixar dominar por culpa, pois, caso contrário, será ela a dona da nossa vida. Existe um sentimento que podemos chamar de "culpa verdadeira" que nos alerta para actos que não foram realmente correctos da nossa parte. Normalmente esses actos têm consequências penosas para nós ou para os outros. E foram feitos com consciência. A "culpa falsa" é o oposto. São casos que criámos na nossa cabeça, mas sem grande fundamento. Esta culpa vive da suposição... "talvez se eu tivesse feito isto, então teria acontecido aquilo. Mas porque é que eu não me lembrei!?", reconhece este tipo de diálogo. A culpa falsa retira-nos ânimo e ocupa-nos muito tempo... a remoer. Se estiver na dúvida acerca do tipo de culpa, fale com uma amiga, um familiar ou um terapeuta. Peça-lhe opinião e tome as decisões que tiver de tomar - para arrumar esse assunto sem raízes verdadeiras, como acontece na culpa falsa; ou para concertar os estragos reais da culpa verdadeira. Mas tome o controlo da sua vida.
Pois é, na próxima terça feira já chegamos ao fim desta série, que tanto prazer me tem dado partilhar com vocês. O décimo hábito intitula-se: Não perca a esperança. E não vamos perder, pois não? 


A Mulher do 31 | Blog | Facebook | Instagram | Twitter |

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dias de Uma Princesa apanha Cocó na Fralda

Ontem apresentei-vos o Google Trends. E hoje partilho convosco uma outra aplicação desta ferramenta, usando como exemplo os meus dois blogs preferidos da categoria Família que estiveram a concurso na edição deste ano dos Blogs do Ano. E no final viajamos pelo blog A Pipoca Mais Doce, para as amantes de Lifestyle.
O blog Cocó na Fralda tem vindo a descer no número de procuras e o blog Dias de Uma Princesa tem vindo a subir. No final de Setembro deste ano - altura em que abriram as votações para o concurso organizado pela Media Capital - as linhas cruzaram-se e o blog de Catarina Beato acabou mesmo por ultrapassar o de Sónia Morais Santos. Esta proeza já voltou a acontecer mais do que uma vez, desde essa data, mesmo depois de Cocó na Fralda ter ganho o prémio de Melhor Blog do Ano na categoria Família. Apesar do crescimento do blog Dias de Uma Princesa, no que respeita às pesquisas no último ano, a média de procura deste é apenas de 27, o que fica abaixo dos 56 de Cocó na Fralda, com o…

Blog Planner 2018 (Gratuito)

Gosto de Planners e gosto de DIYs. A Bruna Arouca, já vossa conhecida (guest post de sábado passado), criou um Blog Planner para o ano que já está a bater à porta. Não só o criou, como o partilhou gratuitamente e deu instruções como o usar.

Já ficávamos felizes por aqui. Mas há mais. Esta portuense de 20 anos ainda nos deu indicações de como fazer um personalizado. É só seguir as sugestões da Bruna no Fashion Mornings.

Eu já fiz o download e impressão para me organizar melhor em 2018. Quanto a criar um com a cara d'A Mulher do 31... estou a caminho.


Para quê serve um Blog Planner? Ter um Blog Planner vai-te ajudar a ter à frente dos teus olhos, os teus objectivos, as tuas ideias... e o tempo que ainda tens para as atingir. Vai permitir-te gerir melhor o teu dia a dia para poderes ser mais participativa na blogosfera (como acredito que queiras). Vai ajudar-te a teres uma rotina, e depois dos hábitos instalados, tudo se torna mais rápido e leve. E no final a tua autoestima sai refor…

Bate as Asas e Voa para Lá do Ninho

Estamos no tempo de procurar o conforto do lar, o conforto do quente, o conforto do interior: assim nos pede o tempo frio e cinzento próprio do Outono.
Também nas etapas da vida em que o tempo é de transição, o apelo interior é para vivê-las de um modo confortável, chama-nos a ficar  presos ao conhecido, ao provável, ao possível, ao que não incomoda, ao que não desafia...

De certo que já passaste por momentos na vida que tiveste de dar um passo em frente, sem saber se as escadas tinham três degraus ou trinta, se os músculos iam doer no final da subida. Mas foste. Ganhaste fôlego e lá foste tu. Pé ante pé subiste cada etapa até celebrares a vitória de chegares e agarrares o teu objectivo, alcançares outro patamar.

Eu recordo-me de alguns desses momentos. Talvez tu te identifiques com eles, ou se calhar tens outros bem diferentes, mas a sensação... a do desconforto do desconhecido e o entusiasmo de o ultrapassar, deve ser comum. Concordas?

Preparação para Lá do Ninho (do Confortável)Entra…