Avançar para o conteúdo principal

|Dolce Far Niente| Emagrecer sem Fazer Nada... de Extraordinário

Foto: Standouthealth.com

Não só escrevo num blog, como gosto de ler blogs. Gosto, porque são partilhas pessoais, vividas por alguém. E gosto particularmente do Dolce Far Niente da Marta. Porquê!? A razão é simples. Não é cheia de rococós. Aparentemente passa exactamente pelas mesmas coisinhas que nós, mulheres comuns e imortais. E não tem problema em falar do menos glamoroso. Mas não escrevo este post apenas para vos dizer isto. Não! Escrevo, já que, num dos últimos post, a Marta conta como emagreceu... e algumas das alterações (quase todas), que fez à sua alimentação, correspondem às que eu também fiz. E essas são:

  • Evito a quase 100% comer o que tenha trigo e açúcar, mas abro excepção para os dias de celebração e para o "dia da asneira", que procuro que coincidam. Também já aconteceu inadvertidamente ter comprado um produto com açúcar e só me dar conta mais tarde. E consumir mesmo assim, mas não voltar a comprar. 
    • Tenho chocolate de 75% e 85% de cacau e como um quadrado quase todos os dias. Normalmente faço-o depois das refeições, a jeito de sobremesa. 
  • Tento não comer pão, diminuiu bastante o consumo de massa (e é sem glúten) e evito comer hidratos de carbono sobretudo à noite. Mas não sou fanática. Quando o faço, opto por porções pequenas, e com muitos legumes a acompanhar.
  • Como menos entre as refeições principais. E quando como, dou preferência a frutos secos e fruta, sobretudo a banana. Por vezes, uma fatia de queijo sem lactose ou iogurte magro sem lactose.
  • Tento, mas nem sempre o faço, planear as refeições antecipadamente, para não ir ao que está à mão, ao que é mais rápido e mais fácil, enfim... ao que não entra no meu novo estilo de vida. Quando não tenho nada planeado, faço salada com o que tenho no frigorífico e junto-lhe um ovo cozido.
  • Deixei de beber café.
  • Bebo mais água do que bebia (já escrevi sobre isso aqui no blog!).

Talvez tenha mais uma ou outra coisa que poderia acrescentar... como o exercício físico diário, ou a contagem de passos... mas sublinho que não tenho regras restritivas... ou que tenho de obedecer piamente. Dou o  meu melhor, e quando coloco o pé na poça, sacudo, seco e sigo em frente. 

Segue A Mulher do 31 (@amulherdo31) também no Instagram e no Facebook.

Comentários

  1. Está indo pelo melhor caminho. Um passo de cada vez e entendendo o que é bom ou não, principalmente para você. Se quiser ler um bom site ecseguir tb no Facebook, só para conhecer outros métodos, aconselho o Cozinha consciente, da Mônica Souza. Eu não sou adepta a restrições, mas aceito que "comida de verdade" é, principalmente a que se faz em casa, sem industrializados. Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Lúcia, pela sua visita e comentário. As restrições são um problema a nível, sobretudo, emocional. É melhor sermos flexíveis nesse campo. Desejo um óptimo domingo.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

|Emagrecimento| Antes e Depois

Talvez te recordes desta fotografia!? Daquela mensagem que partilhei AQUI, acerca do Antes e Depois de grávida!? Mas agora este Antes e Depois trata-se de quando ainda não tinha iniciado a minha reeducação alimentar e do ponto a que quero chegar com ela. Mas não só chegar, como manter.
Diga-se que a fotografia do Depois ainda merecia uma redução da barriga, ou uns abdominais mais definidos... O duplo queixo??? Dispenso.
Entre uma fotografia e outra ficam (de forma simulada) 10 quilos de diferença. Se me perguntares: e quando queres chegar a esse ponto? Respondo-te: sem prazos, quero respeitar o meu ritmo, quero sentir cada etapa de modo consistente, com flexibilidade, sem restrições, nem fanatismos. Até porque a minha intolerância à lactose e os meus problemas da tiróide precisam de tempo para se reestruturarem, ou eu aprender a dar-lhes a volta.
Dizem que por sofrer de hipotiroidismo tenho mais dificuldade em emagrecer. Dizem... Como me dizia aquela senhora no ginásio, depois de eu …

|Portugal| Em Grande Sofrimento

Sento-me ao computador para ler os últimos post dos blogues que sigo... a primeira ida à praia, este ano, da Carlota; uma receita para os pequenos comerem legumes disfarçadamente; uma declaração de ser agnóstica por tudo o que se vê na TV e começo a perceber que algo se passou...

Cá em casa não temos canais português, por isso não sabemos o que se passa em Portugal, a menos que falemos com os nossos familiares e amigos, ou que procuremos na net. (É uma opção!)

Pronto, vou ao Sapo para ver o que realmente está a acontecer. Pensei que fosse mais uma fase que há todos os anos, em que os "anjos" (bombeiros) sofrem horrores para proteger aquilo que é de todos, bem como os bens de privados, que vêem ameaçadas as suas propriedades com labaredas rebeldes, que teimosamente não apagam e dançam livremente por onde lhes apetece, sem que ninguém queira dançar com elas.

E é no seguimento dessa leitura que me dei conta do que Pedrógao Grande viveu e está a viver. Por mais que possa fazer o…

Steve Jobs: Nem sempre os bem sucedidos são vencedores

Steve Jobs, até há pouco tempo, era apenas a figura central de um livro que entrou na nossa casa, mas que ainda ninguém leu. Aquele tipo de livro que se olha para ele várias vezes, folheia, mas que continua por ser lido. E assim se mantém...

Mas de repente o interesse de o ler cresceu. Aliás tem-se desenvolvido à medida que vou tendo contacto com citações dele, mas também depois de ter visto um vídeo, no qual já aparecia bastante debilitado pela doença, e fala de aspectos realmente importantes na vida... e agora devido ao filme que assisti através da Amazon Prime, com o seu nome, e com Michael Fassbender a representá-lo.

Trata-se de um drama biográfico da vida de um homem cheio de sucesso na vida profissional, mas com dificuldades nos relacionamentos pessoais e familiares. Kate Winslet desempenha o papel fantástico de seu braço direito, como directora de Marketing que o acompanhou desde os tempos da Apple. E é ela que, como diz no filme, sabe e explica aos outros como Steve Jobs funci…